19 de julho de 2017

Fim do canal, fim do blog, fim do Instagram.


Uma hora tudo chega ao fim, uma hora é preciso aceitar o fim de tudo e seguir em frente. Post super rápido com o vídeo que gravei explicando sobre o fim de todas as minhas redes. Não deixem de assistir!

28 de abril de 2017

Uma carta para ele


Oi, só vim dizer que me apaixonei pelos seus sorrisos.
Sim, no plural.
Eu me apaixonei por todos eles.

Me apaixonei por aquele que você dá quando acha algo engraçado e vem junto com uma risada que na primeira vez me fez erguer as sobrancelhas e hoje fico feliz em conseguir te arrancar algumas com minhas bobagens.

Aquele seu sorriso sapeca me deixa curiosa. Eu sei que você vai aprontar algo que vai trazer junto várias risadas, minhas e suas.

Seu sorriso antes, durante e depois de uma boa refeição me deixa satisfeita. Seja depois de algo enorme e complicado que eu fiz ou só depois daquela coxinha no botequim da esquina. Poder compartilhar ambos os momentos com você também me faz sorrir e eu sei que as pontadas no peito depois de tanto bacon são apenas por essa alegria.

Um sorriso cheio de preguiça pela manhã alegra meu dia. Acordar e te ver, ter a expectativa de um dia cheio de coisa pra fazer ou cheio de vários nadas com certeza me faz ter uma ideia de que o dia vai valer a pena.

Seu sorriso quando chega e me vê, me derruba toda. Me faz acreditar em algo que tenho medo de pronunciar e até mesmo acreditar que existe.

Como pode tantos sorrisos lindos ainda possuírem tanto peso no olhar?
Me pergunto o dia em que poderei acreditar que realmente sou a causa de todos esses sorrisos.

27 de abril de 2017

Música de Quinta 04 - Orquestra do Diabo

Sabe aquelas bandas que você escuta uma música, não entende nada, escuta outra, entende menos ainda, escuta mais uma e se apaixona? Foi o meu caso com a banda Diablo Swing Orchestra! Escuto há alguns anos e até hoje não consigo definir o estilo deles e por isso foi pesquisar no querido Google e ele disse que a banda se enquadra no estilo Avant-garde metal.
Avant-garde metal (também conhecido como metal experimental ou art metal) é um gênero de transição do heavy metal caracterizado pela experimentalidade e pela forma não estruturada de sons, instrumentos e letras, fundindo características específicas de diferentes estilos. Diferentemente de outros subgêneros do Metal, o avant-garde possui maior liberdade lírica, e não se prende a estruturas. Esse maior fluxo de liberdade e criatividade faz com que o resultado apresente rendimentos abstratos sob foma de regime estranho e estruturas anormais.
Entendi metade disso tudo aí, mas pra mim a banda tem uma pegada heavy metal com detalhes flamencos e ainda uma pegada erudita com umas guitarras incríveis e vocais de arrepiar. A história da banda é bem curiosa e os primeiros registros vêm lá da Suécia por volta de 1501. Sério! Tudo isso. Reza a lenda que existia uma orquestra cuja as músicas eram tão boas e cativantes que uniam as pessoas de várias classes sociais. Por "enfeitiçar" as pessoas que seguiam a orquestra em suas apresentações, a igreja tratou logo de acusá-la de feitiçaria e enforcou os envolvidos. Dizem que eles deixaram uma carta para que os seus descendentes dessem continuidade ao projeto e aí está a banda!

Com 1 EP e 3 álbuns gravados em estúdio, a banda passou por algumas mudanças na formação, músicos convidados e até mesmo coadjuvantes que dão aquele toque especial nas gravações. Pra vocês terem uma ideia, a banda conta com sintetizador, sitara, violoncelo, flauta, piano e trompete. Isso eu to falando "os mais estranhos", mas obviamente tem bem mais coisas.

Os vocais são um show a parte e se misturam com os instrumentos criando melodias únicas e envolventes. Vale a pena conferir! Como sou do tipo que facilita, trouxe o meu cd favorito já que não consigo escolher só uma música dele, uns clips oficiais e um não oficial que achei incrível.









26 de abril de 2017

Quarta no Quarto 04 - Sexo e depressão


A depressão afeta a vida da pessoa em todos os âmbitos e não é de se estranhar que afete também a vida sexual. Não sou uma especialista que estudou o assunto a fundo e na maioria das postagens aqui do blog eu tento ser o mais imparcial possível, mas agora o texto vai ter uma pitada pessoal em suas linhas. Em sua maioria vou usar pronomes masculinos pra falar sobre a cara-metade e tal, mas apenas pela facilidade do diálogo. O texto se aplica a qualquer tipo de relação.

É difícil lidar com uma pessoa depressiva, principalmente por não existir um manual de como lidar com tudo o que acontece. Cada pessoa é afetada pela doença de uma forma diferente. Muitas vezes o parceiro não percebe o quanto o outro está sendo afetado pela doença ou exatamente como está afetando. A baixa autoestima, descrença e inseguranças mil. Com tudo. Com o corpo, com a forma que geme, com as atitudes ou a falta delas, com o não querer transar e se sentir obrigado a isso para não perder o parceiro e então ficar se sentindo mal pelo que fez.Tem umas coisinhas simples que talvez possa ajudar nisso tudo!

Se você é a pessoa que sofre com a depressão:

Converse com o parceiro. Se abra, de verdade. Se ele foi o que você escolheu pra estar ao seu lado e dividir a sua vida e seus melhores momentos, entenda que ele também é capaz de ficar ao seu lado nos momentos ruins. E se ele não ficar, não era pra você. Erga a cabeça e continue acreditando. Isso já aconteceu comigo e eu acredito que pode acontecer de novo, mas que um dia vou achar aquela pessoa que vai segurar minha mão enquanto estou gemendo, mas também vai segurar enquanto estou chorando. a conversa muitas vezes é a solução dos problemas em uma relação. Não finja que está bem, não transe sem vontade, não faça nada que você se sinta forçada a fazer. Não deixe o seu parceiro confuso e sem entender o que está acontecendo, pois isso pode afastá-lo de você simplesmente por não entender o que está acontecendo e por acreditar que é você que não o quer por perto.

Se você está com alguém quem sofre com a depressão:

Seja paciente. É o melhor conselho que posso dar. As vezes a pessoa com depressão se sente tão feia e ruim para o seu parceiro que se isola e se fecha numa concha. Tem vergonha do próprio corpo, de tudo que faz e não faz na cama. Sexo é importante numa relação, mas lembre-se que não é o primordial e se na sua relação é o mais importante, talvez você devesse repensar um pouco mais. Deve existir o equilíbrio e se você realmente ama seu parceiro e quer estar ao seu lado, vai ter que enfrentar tudo isso com ele e entender que existirão períodos sem sexo. Insistir ou forçar está fora de cogitação. "Quando um não quer, dois não transam". Lembre-se disso. É difícil e muitas vezes os hormônios falam mais alto, o corpo tem suas formas de nos sabotar, mas acredite quando eu digo que você pode ajudar seu parceiro apenas ficando ao seu lado e a apoiando.

Se o sexo acontecer:

  • Não tentem fazer uma maratona de posições do Kama Sutra, não tentem quebrar o recorde de orgasmos, nem de tempo. Uma falha em algum ponto e a pessoa depressiva pode sentir-se culpada e isso pode colocar a perder qualquer progresso que ela tenha tido recentemente. 
  • Dediquem-se a aproveitar e curtir um ao outro. Carícias, carinhos leves, toques e realmente gozar do momento que é estarem partilhando tudo isso. 
  • Sem pressa e sem obrigações. Nada de correr pra penetração ou sentir que tem a obrigação de gozar ou de fazer o outro gozar. Foquem em aproveitar o momento de prazer.


Como eu disse antes, cada caso é um caso e cada pessoa é um mundo diferente. Cabe a você não desistir do seu parceiro e apoia-lo como também confiar e se abrir com ele. Alguns sites já abordaram o assunto e dão boas dicas pra isso. Vou deixar os links pra vocês:

http://www.escolapsicologia.com/como-dar-apoio-a-alguem-com-depressao/
http://www.sairdadepressao.com/como-ajudar-uma-pessoa-com-depressao/
http://cuidamos.com/artigos/8-dicas-para-cuidar-pessoa-deprimida
https://familia.com.br/5895/cinco-maneiras-eficazes-de-lidar-com-a-depressao
https://www.clinicadamente.com/como-ajudar-pessoa-em-depressao-2/
http://www.apsicologa.com/2008/04/ajudar-o-cnjuge-com-depresso.html
https://hbjunior19.wordpress.com/2014/05/15/depressao-8-dicas-para-lidar-com-um-conjuge-deprimido/

Crise de fofura:
https://queminova.catracalivre.com.br/influencia/homem-surpreende-esposa-com-depressao-ao-listar-motivos-pelos-quais-a-ama/

25 de abril de 2017

Por trás da máscara

Viver com depressão não é fácil e tento isso há anos. Fui diagnosticada aos 16 anos, fiz terapia por um tempo e quando aprendi a fingir bem o suficiente, passei a esconder dos outros essa verdade. O que descobri é que essa doença é como um fungo que se forma naquele pão que você esquece em cima da geladeira. No começo é apenas uma manchinha, quase não dá pra notar. Um tempo depois você é completamente tomado e parece não ter mais jeito. E o que eu aprendi com isso? Não tem mais jeito mesmo., mas calma. Não estou falando sobre desistir da vida e coisas do tipo!

A depressão toma sua vida de uma forma que você não sente. Te faz se afastar dos amigos, dos conhecidos, do trabalho, dos seus sonhos e de você mesmo. Ela estraga você e toda a vida que você construiu ou ao menos tentou enquanto ela espreitava. Chega uma hora em que nós acordamos e entendemos que chegou a hora de desistir. Desistir de deixar que sua vida seja tomada, desistir de você só vendo o lado negativo das coisas, desistir das coisas que te deixam mais doentes e desistir da vida que está de fazendo mal.

Uma hora erguemos a cabeça e passamos acreditar que existe uma vida melhor e que existe algo bom só nos esperando acordar pra acontecer. Eu ainda não consegui acordar, mas estou começando a ver um pouco de cor no meio desse pesadelo todo. Mesmo com as decepções que estão surgindo no meio do caminho, os problemas e tempestades eu ainda acredito que um dia tudo vai ficar bem. Já não escondo mais meus problemas e peço ajuda pra aquelas que decidiram ficar. Sei que um dia tudo vai ficar bem. De um jeito ou de outro, tudo vai ficar bem.