5 de junho de 2011

Seja bem-vindo


Seja bem vindo ao meu castelo. Para ti as portas foram abertas. Mas não se iluda! O caminho não será mais fácil, nem tão pouco curto. Perigos estão a espreita, cômodos sombrios e empoeirados te esperam. Mas se ainda assim não acreditas em mim, sinta-se a vontade para explorar e correr o risco. Tenha em mente que a caminhada será árdua, que o labirinto é confuso. Mas eu peço sinceras desculpas por ser um péssimo anfitrião e não te receber na porta... Mas quem sabe, se me procurares com afinco, talvez me encontrará.




Pelo menos o cômodo em que me tranquei. Não esqueça de recolher as chaves pelo caminho para conseguir abrir a porta... Encontrar apenas a porta fechada não será de serventia para ti. Você pode não entender o motivo pelo qual me escondi, cansei de sofrer e ser machucado, de ser um mero objeto e servir de barganha em troca de menos do que mereço. Ora, não ache que não tenho modéstia. Apenas creio que mereço um pouco de atenção e carinho de vez em quando.

Isso, penetre um pouco mais, se não te assustei com o primeiro aviso, talvez seja merecedor de avançar um pouco mais. Não me culpe pelo que poderá acontecer daqui pra frente, eu alertei, eu avisei... Continue a caminhada... Mas só se tiver certeza de que quer me encontrar, se tiver a certeza de que vale a pena correr o risco. Será que eu tenho toda essa validade? Tome cuidado... Recolha as chaves...Abra as portas... Não estou no sótão, nem perdido no porão... Mesmo que tenha vivido muito ali, trancado e esquecido... Passei um tempo liberto e vagando pela casa. Agora cá estou novamente, em um canto que não consigo identificar... Onde apenas a escuridão me faz companhia... Onde a lógica se foi e mais nada me resta.

Boa sorte em sua procura... Quem sabe um dia não me encontrarás.


Atenciosamente, o morador dessa residência,

Sr. Coração.

Um comentário:

  1. Sou ar... Enquanto houver frestas preencherei todo e qualquer cômodo.

    Sou fogo... Amornando o ambiente gélido que formou-se outrora.


    Obrigado pelo único e sincero presente de homenagem que tive.

    Adentro no infinito particular.
    Sou aventureiro experiente e destemido... E se não conseguir a vitória ao seu lado, morrerei tentando - alcançando assim, a glória.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário! Não esquece de se identificar... Fico curiosa com anônimos! ;)