19 de novembro de 2011

A máscara


Talvez os falsos sorrisos não te enganem... Ou quem sabe, passem despercebidos por teu critico olhar um dia... Quem sabe. Mas então que a máscara cumpra seu papel, que por trás dela as lágrimas se escondam e a expressão dura se torne amigável e aceitável pelos estúpidos padrões da sociedade. Que as rédeas curtas de seus estúpidos padrões e desejos mimados cumpram seu objetivo, que as unhas fincadas em minha pele arranquem junto com cada célula, a mágoa acumulada... Que as lágrimas lavem minha alma e ajudem a erguer minha cabeça, pois da luta não me retiro. Me atiro do alto e que me atirem no peito! Da luta não me retiro...

15 de novembro de 2011

Inverno a Verão



O tempo passa, as estações mudam, os momentos e sentimentos... E sem me dar conta passo a ser alguém importante... Inesquecível ou simplesmente bem localizada na hora certa. Talvez eu não tenha notado quando o inverno virou verão... Mas agradeço pelo calor momentâneo que me aquece por dentro.

2 de novembro de 2011

Sou mulher



Sou sensível, de lua, mudo de humor com facilidade, reclamo, brigo, xingo e xingo muito. O cabelo nunca está bom, a maquiagem nunca é suficiente, a roupa é sempre a errada, o corpo nunca está direito. Se estou certa, você está errado. Se estou errada, você que não entendeu meu ponto de vista. Choro por bobagem, não peço ajuda quando preciso, choro escondida, forço sorrisos fingindo que está tudo bem. Erro, aprendo com meus erros e os cometo novamente. Sou frágil como uma flor, mas quando preciso, retiro força de onde nunca pensei que existia e enfrento tudo de cabeça erguida, peito aberto e salto alto. Amo, sofro, choro, prometo nunca mais me apaixonar, mas do que estou falando? O amor me move. Sou amada sou amante, não só por minhas qualidades mas também por meus defeitos, sou essencial, revigorante, depressiva, complicada. Me preocupo com os outros, não quero que se preocupem comigo. Sou menina, sou mulher. Complicada ou não, sou eu mesma.