17 de dezembro de 2012

31.536.000 Segundos


1 ano, 365 dias, 525.600 minutos, 31.536 segundos e um sentimento, saudade. Palavra tão simples que resume tantos sentimentos, reúne tanto sofrimento em tão poucas letras. Ainda te espero retornar de um passeio, talvez de uma caminhada a beira-mar como gostavas, quem sabe ainda da casa de uma amiga? O anseio de ouvir novamente teu riso e sentir teus braços a me acalentar apenas aumentam esse vazio em meu peito que jamais será saciado. Tento entender porque sentir saudades dói tanto... Se é a falta dos bons momentos ou a lembrança dos maus? Queria muito ouvir novamente um "não" teu... Uma bronca, uma alfinetada que seja... Tuas piadas que sempre me faziam rir... E de como chorava quando brigávamos. Sinto falta de quando você roubava minha pipoca ou o recheio do meu biscoito "Quem guarda com fome o rato vem e come" e caíamos em uma única risada, de quando você dormia nos primeiros 10 minutos de filme e ainda se atrevia a dizer que estava "ouvindo tudo". Sinto falta de roubar tuas bolsas, de te ver comprando as coisas já sabendo que eu usaria, de perguntar se estou bonita para aquele encontro e das milhões das recomendações. Sinto falta de escolher tua roupa para sair, os acessórios e ainda dizer para você sair com suas amigas e se divertir, afinal você também merecia ser feliz. Ainda choro com as lembranças dos nossos sonhos interrompidos, dos planos que jamais serão concluídos e dos abraços que jamais receberei. Quem sabe um dia todo esse sofrimento diminua... Ou talvez apenas aumente.

"...O apego, não quer ir embora, diaxo... Ele tem que querer..."

Mãe, eternas saudades...


7 de outubro de 2012

Pausa



Talvez seja a hora de recolher as roupas no varal... De regar as plantas e abrir* as cortinas, aproveitar-me um pouco da escuridão além das que obtenho através de minhas pálpebras fechadas. Talvez seja a hora de colocar o lixo pra fora e junto com ele tuas lembranças. As fotos, as embalagens dos doces que agora trazem apenas lembranças amargas. Talvez seja a hora de fechar a porta, recolher o tapete de "bem-vindo" e colocar o aviso de "Não perturbe" do lado de fora. E quem sabe um dia, talvez eu abra as portas de novo.

*O gesto de abrir as cortinas significa "fechar", já que quando você diz fechar as cortinas para cobrir a janela, na verdade você está abrindo o tecido, logo, abrindo as cortinas. E ao descobrir a jenale, você fecha o tecido, logo, fecha a cortina.

26 de setembro de 2012

Aleatório



Talvez eu não precise mencionar essas palavras. Talvez e apenas talvez simplesmente pensar em tais palavras já as transforme em farpas e estas lentamente penetram na carne e fazem os filetes de sangue manchar o carpete. Ou seriam minhas unhas? Mas pouco me importa o carpete... Afinal, as cinzas do cigarro pendurado em minha inapta mão já fez esse trabalho e a taça de vinho transbordada completou o serviço.
~ Pensamento de um momento ~ Malka Lima ~

30 de julho de 2012

Eu mesma


Sim eu sou moleca, gosto de comer de colher, de lamber a panela do bolo, de comer brigadeiro de panela, de sentar no chão e não troco meu tênis e meu conforto por salto nenhum. Gosto de gargalhar, de assistir animes e filmes com amigos, de tomar banho de chuva e andar descalça. Gosto de correr, de jogar bola, de me estirar na grama e olhar o céu. Adoro comer pão com manteiga e lamber os dedos depois de comer algo gostoso. Mas nada disso me faz menos mulher, menos madura ou menos responsável. Lembre-se disso antes de me julgar.

13 de julho de 2012

A desabafar


Sem saber onde estou, fico a devagar.
Sem saber quem eu sou, fico a imaginar.
Sem saber onde vou, fico a sonhar.

Palavras bobas, cheias de entrelinhas e diversos significados... Alguns plausíveis, outros nem tanto. Mas afinal onde tudo isso vai me levar...? De que todas essas cicatrizes que me causaram e as que causei irá adiantar? Pedir desculpas ou perdão não vai adiantar... Pedir um tempo, para um suspiro que seja, para um sorriso e um momento livre seria sonhar em demasia. Mas que seja... Que gire o mundo então.

18 de fevereiro de 2012

Pra sempre



Vou guardar todas as suas memórias e na minha mente faze-las dançar.
Vou guardar todos os teus beijos e em meus lábios sentir o gostar.
Vou guardar todos os teus sorrisos e meus olhos faze-lo chegar.
Vou guardar todos os teus desejos e em meu sonho me fazer lembrar.

Malka Lima.

PS: Post bobo inspirado no blog Vou Guardar Todas as Suas Memórias.

17 de fevereiro de 2012

Sobre a saudade...



O que é a saudade? Palavra que existe apenas na lingua portuguesa mas que no fim serve para dizer a mesma coisa em qualquer dialeto... Sinto sua falta. Não sinto saudade apenas dos bons momentos, de rir com sua gargalhada solta de alguma piada sem graça que contei, das brincadeiras que fazia com meus amigos, dos abraços, dos beijos... Dos cafunés... Das coisas que me deixavam morrendo de vergonha... Dos filmes que nunca conseguíamos assistir porque você sempre dormia nos 10 primeiros minutos... E então vinha a nova promessa de assistir outro filme qualquer... E novamente você dormia. Fato que já gerava novas risadas.