28 de junho de 2013

O Fim...

A leitora Nua - Yuri Krotov
"A saudade é sóbria. A saudade não grita. A saudade só vem muito tempo depois do horror ante a visão do túmulo, do horror na cabeceira da cama. A saudade só sóbria e é impassível."

E lá estava o livro aberto em minhas mãos. As páginas que passavam revelavam mais do que a história de amor incompreensível entre um fantasma e uma humana. Um amor doentio e protetor. O cheiro do perfume que mesmo depois de tantos anos me alcançava chegava a doer em meu peito. Precisava focar na história que lia, nos cenários magníficos, na música narrada de forma tão magnifica que podia ser ouvida através das letras, poder que apenas Anne Rice conseguiu me transmitir até hoje.


O perfume, maldito perfume me trazia lembranças e me pegava navegando entre elas ao invés de me perder nas letras que tornavam-se vazias a frente dos meus olhos. Maneava a cabeça em negativo, o livro estava perto do fim e atiçava a curiosidade para saber como tudo terminaria, como aquele amor seria resolvido. E então mais uma vez o perfume me jogava entre os devaneios de um passado que já deveria ter esquecido, na dor da perda, no quão foi difícil erguer a cabeça e simplesmente voltar a viver. Entre as lembranças do passado, vislumbres de um futuro que nunca acontecerão chegavam a minha mente.

O cheiro... Ele era o responsável por isso. Trazia consigo gostos e sons, o som da risada, da voz, dos beijos trocados. Trazia consigo o toque que nunca me pertencera, apenas uma fase... Fingimento talvez. Me pegava a fitar as letras que não faziam sentido, precisava tirar aquelas coisas da cabeça e descobrir o que aconteceria no fim do livro. Páginas e mais páginas passavam até os momentos finais que enchiam os olhos de lágrimas. O adeus de Stefan, personagem pelo qual é impossível não se apaixonar e o sacrifício de Triana. Respirei fundo e li o último parágrafo.

O livro acabava e sentia aquela sensação de vazio que apenas um bom livro pode deixar ao ser terminado. Ficava imaginando como as coisas seriam e como realmente gostaria que as coisas fossem, eu sempre procurava um final feliz para os personagens na esperança de ter o meu próprio final feliz. Alguns minutos pensando nisso compreendo que, talvez aquele final tenha sido o melhor para os personagens... Então porque o meu fim teria sido tão trágico? Acaricio a capa, leio a dedicatória que agora mais parecia ironia.

Os dedos tocam as letras escritas em uma caligrafia rebuscada, respiro fundo e ergo o livro e procuro sentir o cheiro que setia a cada virar de página, mas ele não está mais ali. Abro, viro página após página, foleando a procura do cheiro e então entendo... O perfume estava apenas em minha mente assim como todas as lembranças de um passado que jamais irá voltar. Deito a cabeça no travesseiro, puxo as cobertas sobre meu corpo tentando esconder-me em sob esse véu, na tentativa de aquecer meu corpo até o ponto em que meu coração frio também será aquecido. A mão ainda tocava a capa do livro, um sorriso decora meu rosto e finalmente entendo... São apenas lembranças. Sendo assim, entrego-me nos braços dos sonhos pois esses eu sei que jamais se tornarão realidade.

~~~

PS: O livro mencionado chama-se Violino da Anne Rice. Finalmente depois de anos consegui terminar de ler! Considero uma vitória pessoal... Parecia que algo bloqueava a leitura e mesmo tentando várias vezes, não passava da metade. Mas finalmente consegui! A história é incrível e a Anne consegue narrar perfeitamente as músicas de grandes artistas como Mozart e Beethoven.  Ela te leva num misto de sons e imagens que apenas as letras de um bom escritor conseguem formar em sua mente. Recomendo a leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e pelo comentário! Não esquece de se identificar... Fico curiosa com anônimos! ;)