11 de agosto de 2013

Paz...


Acordar era tão complicado. Aquela preguiça que forçava o corpo a ficar na cama e a vontade de sair então? Só fazia as pernas enroscarem de forma automática do lençol. Uma, duas, três sonecas ativadas do celular depois e não tinha mais tempo a perder. Lembrava de que dia se tratava e o sorriso iluminava seu rosto. Agora sim tinha um motivo pra levantar. As pernas desnudas deixavam a mostra os pelos eriçados quando os pés descalços tocavam o chão. Passos longos e saltitantes até a sala, a mão tateava embaixo das almofadas do sofá a procura do controle remoto, agora a TV ela ligada e o dedo realizava os gestos automáticos já colocando as músicas no pendrive para tocar. Balançava a cabeça no ritmo da música, arriscava até algumas notas e uns passos, rebolando daquela forma nada sensual, porém divertida.


9 de agosto de 2013

Simples palavras...


'' 'E' e 'Se' são duas palavras tão inofensivas quanto qualquer palavra. Mas coloque-as juntas, lado a lado, e elas têm o poder de assombrá-la pelo resto de sua vida.
'E se?'... E se? E se?
Não sei como sua história acabou. Mas se o que você sentia na época era amor verdadeiro, então nunca é tarde demais. Se era verdadeiro, então, por que não o seria agora? Você só precisa ter coragem para seguir seu coração.
Não sei como é sentir amor como o de Julieta, um amor pelo qual abandonar os entes queridos, um amor pelo qual cruzar os oceanos. Mas gosto de pensar que, se um dia eu o sentisse, eu teria a coragem de agarrá-lo.
E se você não o fez, espero que um dia o faça.

Com todo o meu amor,
Julieta.''

Não me recordo se essa é a carta inteira ou apenas um trecho. Essa carta faz parte do filme Cartas Para Julieta. Um dos romances "água com açúcar" que eu gosto. Se ainda não viu, recomendo.

8 de agosto de 2013

Adeus.



E num belo dia, chegou em casa depois do trabalho e colocou seu CD favorito para tocar. Os passos eram calmos, lentos. Não tinha mais pressa. O jantar foi preparado de forma impecável, bem como a sobremesa e o suco. Depois de satisfeita, arrumou a cozinha, a casa e sentou-se para assistir o filme favorito com uma taça de vinho e uma barra de chocolate. O que mais faltava? Chorou com no fim do filme, secou as lágrimas, tomou um banho relaxante e colocou sua roupa favorita. Novamente seu CD favorito começava a tocar. Sentou-se a mesa e em uma folha em branco deixou a caneta seguir seu curso.