22 de abril de 2016

Bela, recatada e do lar

Sim! Precisamos falar sobre esta polêmica e por que virou polêmica. Se você estava em outro planeta esses dias ou longe das redes sociais e perdeu todo o bafafá em torno de uma matéria da Revista Veja (não é de hoje que a revista entra em polêmicas com grupos sociais) onde falava sobre a "quase primeira-dama" Marcela Temer vou explicar um pouquinho. A autora da matéria, Juliana Linhares, comenta o relacionamento amoroso entre o Michel Temer (74 anos) e a Marcela Temer (32 anos) e as qualidades de Marcela (leia a matéria completa clicando aqui). Até aí tudo bem, não é? Apenas mais uma matéria de fofoca. Então o que gerou tanta polêmica e fez com que mulheres e homens (sim, os homens também se engajaram) levantassem a #belarecadaedolar? A autora definiu que o estilo da Marcela é o ideal para todas as mulheres seguirem. Como se você, mulher, ser "bela, recatada e do lar" fosse o padrão ideal de mulher.

Juntos há 13 anos, Marcela sempre acompanhou Michel em seus eventos políticos, mantendo o estilo recatado e sofisticado que uma mulher do seu porte (esposa de um político do alto escalão) precisa ter. Isso em momento algum foi questionado e não condeno a posição dela. Qualquer deslize que ela cometa vai refletir na vida do seu marido e o mesmo aconteceria se o cônjuge em pauta fosse o marido da Presidente, por exemplo. Ao entrar numa vida política devemos compreender que nossos parentes entram conosco e a nossa vida passa a ser pública. Todo e qualquer problemas que causamos, vai repercutir na mídia e seremos sempre ligados ao parente político. Isso é um problema? Não. Marcela Temer precisa ser sempre bela, recatada e do lar. E tudo bem. O problema foi impor isso como padrão ideal. Essa imposição que gerou a polêmica.

Trechos da matéria como "Marcela é uma vice-primeira-dama do lar. Seus dias consistem em levar e trazer Michelzinho da escola, cuidar da casa, em São Paulo, e um pouco dela mesma também (nas últimas três semanas, foi duas vezes à dermatologista tratar da pele)." Fez com que eu me sentisse lendo uma revista da época da minha avó! Onde tudo o que a mulher podia fazer era ser dona de casa. E se fugisse do padrão chegava a ser uma desonra pra família e o assunto do bairro, quiçá, da cidade. No fim da matéria temos a frase "Michel Temer é um homem de sorte." Dos males o menor, achei que depois de toda a matéria ainda seria Marcela a mulher de sorte por estar ao lado de um homem como Temer (não estou exaltando qualidade alguma dele, apenas ressaltando o que poderia acontecer).

O mundo mudou bastante desde os primórdios onde as mulheres eram educadas para serem ótimas donas de casa, mulheres do lar e só. Hoje temos mulheres que estão no controle de grandes empresas, que trabalham fora, que sustentam a casa, que cada dia mais gostam de ser mulher e livre! De sentar numa mesa de bar e beber a vontade com as amigas, de rir, de chorar, de falar palavrão, de se sair despenteada, de usar short curto, saia curta, batom vermelho, vestido curto e fazer o que quiser! Toda mulher é livre, todo ser humano é livre e merece o direito de exercer essa liberdade como bem entender. Tudo bem ser bela, recatada e do lar, se for o que você quiser ser. Tudo bem ser desleixada, desbocada e do bar, se é o que você quer. Tudo bem ser o que você, mulher, quiser ser! Toda a polêmica foi causada por tentarem impor este tipo de mulher (bela, recatada e do lar) como o padrão ideal. Não existe isso de padrão ideal. Existem os seres humanos e precisamos aceitar que todos são diferentes e possuem personalidades distintas. Ninguém é obrigado a aceitar nada, mas somos obrigados a respeitar.

Então, amiguinhas, sejam do lar, sejam do bar, da rua, da casa, do tatame. Sejam de onde quiser, sejam como quiserem, sejam vocês! Sejam livres, sejam mulher. E pra finalizar, eu pedi pra algumas amigas enviarem as suas fotos que usaram na #belarecatadaedolar pra mim e fiz uma compilação com elas. Se mais alguém quiser ser adicionado é só mandar a foto! ;) E sobre a minha foto, ainda não tive tempo de parar e tirar uma no clima da hashtag hahahaha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e pelo comentário! Não esquece de se identificar... Fico curiosa com anônimos! ;)