10 de maio de 2016

#Assistido: Eu não faço a menor ideia [...]


O título era muito grande pra colocar todo no título do post hahahaha. Sabe aquele filme duvidoso, mas que você ainda assim resolve assistir por que ficou curioso? Foi o meu caso com o “Eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida”. Sim, tudo isso é o nome do filme. Fracasso de críticas, mas com alguns elogios úteis, ele conta com Clarice Falcão e nomes como Leandro Hassun e Alexandre Nero no elenco, ele era uma promessa de bons minutos numa tarde chuvosa e com uma boa trilha sonora para quem curte o estilo. Eu assisti e trouxe a minha opinião.



Clara (Clarice Falcão) está indecisa em relação às suas escolhas. A jovem está cursando a faculdade de Medicina por pressão familiar e não por vocação. Sem contar para ninguém o que está sentindo, ela passa a matar aulas no período da manhã. Durante essas aventuras matutinas, Clara conhece um rapaz que a ajuda a encontrar um norte para sua vida.

Dirigido por Matheus Souza (também responsável pelo Confissões de Adolescente, 2013), o filme traz uma fotografia incrível. E esse foi o motivo de ter me apaixonado de cara pelo filme. Eu me apego aos detalhes, ao movimento da câmera e ângulos, iluminação, foco e todo o resto. Esse filme conseguiu mostrar cenários incríveis e dignos de muitos wallpapers para os fãs.

A trilha sonora foi um caso de amor a parte para mim. Inclui nomes como Tiê, Marcelo Camelo, A Banda Mais Bonita da Cidade a própria Clarice Falcão e mais alguns. Nem preciso dizer como cada música foi se encaixando na proposta do filme, algo lento e bem no estilo “alternativo” por assim dizer. Cada momento teve sua trilha e você conseguiu enxergar aquele engajamento raro.

A história não demonstra ser profunda. É uma ode a juventude e seu mundo de “Não sei o que fazer”, “Não sei quem sou”. Cheio de itens da cultura pop e menções a filmes, atores, bandas e tecnologias acaba atraindo a identificação dos telespectadores.



Quando falei que não demonstra, realmente não achei, mas atiçou a minha curiosidade e me fez ficar até o fim! Calma, não vai ter spoiler, mas foi o fim que fez tudo valer a pena. O filme me fez entender que não são apenas os jovens que não sabem o que fazer e que é normal não saber e ficar perdido. É normal demorar um pouco pra se encontrar e mais normal ainda tentar se encontrar de todas as formas possíveis.

Nota: 8.

Sobre a trilha sonora:
Silva - A Visita
Tiê - Te Valorizo
Nana - I can't fall in love
Hidrocor - Planos pro ano que vem
Hidrocor - Tchu tchu tchu
Pélico - Tenha fé, meu bem
Clarice Falcão - Capitão Gancho
Sentimental - Phillip Long
Marcelo Camelo - Vermelho 
A Banda Mais Bonita da Cidade - Se eu corro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e pelo comentário! Não esquece de se identificar... Fico curiosa com anônimos! ;)