16 de outubro de 2017

Filme de Segunda 04 - Jogo Perigoso


Que surpresa a minha quando na página inicial da Netflix me aparece um filme que eu estava mega ansiosa pra assistir! Mas vamos começar de vagar! Primeiro vou falar sobre o livro que inspirou o filme. Passeando pela bienal, eis que encontro um livro do Stephen King em promoção. Eu não conhecia o livro, mas era do Stephen. Não esperava nada menos que "ótimo" dele. Então arrisquei e comprei. Demorei muito pra começar a ler pelo simples fato de saber que era do Stephen, mas ter ficado um pouco desconfiada pela sinopse:
Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seu casamento, viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de horror. Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la. 'Jogo perigoso', de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno, e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.
Logo pensei "Minha nossa, o livro vai ser todo dentro do quarto, vai ficar entediante..." E esse pensamento me fez ir protelando a leitura. Até que eu comecei e não consegui largar o livro até terminar! O problema é que eu comecei a ler no ônibus pro trabalho, então só tive livre a hora do almoço e a volta pra casa. Quase enlouqueci e fiquei totalmente presa no enredo! Os detalhes ricos me faziam quase que ouvir os apelos de Jessie! Achei a história impressionante, com detalhes incríveis e um final digno do Stephen. Assim que eu terminei logo pensei "poxa, um filme disso seria legal" e a Netflix coisa mais linda da minha vida, realizou esse sonho!


Jessie (Carla Gugino) e Gerald (Bruce Greenwood) formam um casal em crise. Para salvar o casamento, eles decidem viajar a uma casa isolada, na intenção de passar um fim de semana romântico. O marido leva algemas e decide prender a esposa a cama. Ela hesita a participar do jogo erótico, mas aceita. No entanto, uma vez presa, o marido sofre um ataque cardíaco e morre. Presa à cama, sem ter a quem pedir socorro, Jessie luta pela sobrevivência enquanto se recorda de traumas na infância.
Ficha Técnica:
Título Original: Gerald's Game
Título no Brasil: Jogo Perigoso
Direção: Mike Flanagan
Duração: 1h43min
Indicação: 18 Anos
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama/Suspense
Nota: 10 Limões
Tem na Netflix: SIM


 O filme já começou a me ganhar no elenco. Com a linda Carla Gugino (Pequenos Epiões e Watchmen) no papel de Jessie e o incrível Bruce Greenwood (Star Trek e Eu, Robô) interpretando o Gerald. Tem mais uma pessoa escalada no elenco que eu AMEI, mas não posso dar spoiler. Mas fica a dica, aparece em meio as sombras! Pelo trailer, se você leu o livro, consegue identificar muita coisa que o Stephen escreveu. Vários trechos dos traumas de infância da Jessie e acontecimentos durante o tempo em que ela está presa aparecem em detalhes e só no trailer! Daí você consegue ter uma boa ideia do que vem pela frente.

Foram arrepios do começo ao fim e eu indico MUITO que vocês assistam essa produção incrível da Netflix!

26 de setembro de 2017

Setembro Amarelo


Resiliência
substantivo feminino
1. fís propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica.
2. fig. capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças.
Só sabemos do que somos capazes quando passamos pelas desavenças. Só temos noção do tamanho da nossa força quando ela é colocada a prova. Só entendemos a nossa coragem quando temos que enfrentar os nossos medos. Aprendemos com nossos erros e nossas superações, por tudo que passamos e superamos. É difícil aceitar o problema, compreender e mais difícil ainda pedir ajuda.

O mês está acabando e caso não saibam ele é conhecido como Setembro Amarelo por serem dias de combate ao suicídio, mas entendam que essa é uma luta para todos os dias, para todas as horas e para cada momento difícil.

A depressão é uma das maiores causas de suicídio e estamos num ponto da sociedade em que as doenças psicológicas precisam ser levadas a sério. Infelizmente depressão, ansiedade, transtornos e bipolaridade ainda são tratadas como um resfriado ou como doenças que podemos nos curar simplesmente porque queremos.

Não é simples assim nem tão fácil quanto acham. É preciso uma ajuda profissional além do apoio da família e amigos. Alguns sinais podem ser percebidos e devem ser levado a sério:

  • Usar frases como "eu queria sumir", "ninguém sentiria falta de mim", "sou um peso" e coisas do tipo são um dos primeiro sinais de quem está com pensamentos suicidas.
  • A pessoa começa a adquirir vícios em bebidas, drogas e coisas que servem como fuga.
  • Mudanças bruscas no comportamento, abandono de hobbies, emprego e coisas que eram interessantes para a pessoa deixam de ser.
  • Cuidado com melhoras inesperadas e bruscas. As vezes é um pedido de socorro ou tentativa de deixar todos felizes antes de tentar por um fim na vida.
  • Algumas pessoas são mais frágeis que outras e não suportam comentários negativos e qualquer coisa que possa lhe denigrir. Então levem o bullying a sério e qualquer coisa do tipo. Sentem, conversem, procurem ajuda profissional se preciso.

Quando notamos alguns sinais de depressão ou de que a pessoa está em risco, pequenas atitudes podem ajudar:

  • Conversar, mas conversar de verdade. Ouça mais do que fale. É muito importante ouvir e prestar atenção.
  • Evite frases como "mas você podia tentar", "você já tentou mudar?", as vezes a pessoa já tentou de tudo e não conseguiu sair de onde está.
  • Não julgue ou critique. A pessoa já faz isso sozinha!
  • Demonstre realmente estar preocupada com frases de apoio como "vamos encontrar uma maneira de te ajudar", "vamos conseguir sair dessa".
  • Faça coisas que a pessoa gosta, a distraia e mantenha ocupada com atividades divertidas.
  • Incentive a pessoa a procurar ajuda profissional. As vezes podemos tentar de tudo e ainda não ser suficiente ou não sabermos que direcionamento tomar.
Eu sofro de depressão e por muito tempo escondi e evitei pedir ajuda das pessoas mais próximas. Tem dias que sair da cama parece impossível, tem dias que preciso fazer um esforço enorme pra apenas seguir a rotina e tem dias em que estou super motivada a mudar e a fazer tudo até que de repente, algo dá errado e perco toda a motivação.

Sumiços frequentes, isolamento, falta de vontade de sair de casa, de comer ou de fazer qualquer coisa que gosto são comuns. É algo normal na depressão e já aceitei isso. Todo dia é uma luta diferente, uma vitória a mais quando consigo fazer algo que deveria e a sensação de dever cumprido é arrebatadora.

Se você percebe que tem problemas parecidos, procure ajuda. É muito importante ter apoio nos momentos difíceis. Não desista da sua luta, não desista dos seus sonhos, não desista da sua vida. Tudo vai mudar e melhorar!

31 de agosto de 2017

Uma Noite de Crimes #2



Eu voltei ao meu vício no jogo Ragnarok e estamos no capítulo 2 da Saga de Catita! Uma pobre garota abandonada nas ruas de Rune Midgard e que virou uma Gatuna para conseguir sobreviver! Você pode assistir aqui, mas não se esqueça de ir lá no canal e se inscrever e deixar aquele like do amor!



30 de agosto de 2017

Silenciando...


"...Nunca mais plateia no Municipal..."

O som dos saltos sobre os paralelepípedos da rua era a companhia da noite. De vez em quando um cachorro latia em algum lugar como se lhes fizesse companhia. Os passos tortos surpreendiam pelo equilíbrio ou, por vezes, a falta dele, mas andar na ponta dos pés nunca foi um problema. Saíra da festa antes do horário, madrugada a dentro, sem destino. Na mão ainda carregava uma garrafa de gin, a boca marcada pelo seu batom vermelho. Mais um gole e dava-se conta do fim do precioso líquido, com raiva jogava a garrafa contra a primeira parede que conseguia encontrar na penumbra, quase caíra com o impulso dado, mas retomara a compostura e seguia seu caminho.

Música! Conseguia ouvir música e risos ao longe. Uma festa? Será que conseguia entrar. Passava as mãos pelos cabelos volumosos, puxava os seios fartos pra cima e acertava os cantos do batom e em meio a esse gesto olhava através da janela. Era um pub a moda antiga, bancos altos na frente do balcão, iluminação amarelada e no palco algumas meninas mostravam seus talentos erguendo e abaixando as pernas em um cancã sincronizado. Podia ver nos olhos das meninas que passavam servindo as mesas.

Conseguia reconhecer em algumas o olhar que um dia já possuiu, o brilho do sonho de encontrar um grande amor que a tiraria daquela vida, que a daria uma vida de verdade. No palco ela conseguia ver ela mesma, o Municipal lotado, sua precisão e graça sendo aplaudida de pé no fim do espetáculo. Lembranças distantes de uma vida que abandonara em busca de outra e outra e outra… E olha só onde estava agora. Chorando na frente de uma janela empoeirada. Com pesar virava de costas e seguia rumo a avenida principal. Poucos carros naquele horário, alguns bêbados, algumas moças a procura de dinheiro. Nada fora do normal.

Estava a algumas quadras de casa quando aceitou a derrota e tirou os saltos. A meia-calça já desfiada agora também começava a ficar suja. Da pequena bolsa retirava as chaves da portaria, subia da forma mais silenciosa possível as escadas que pareciam gemer a cada passo que dava. Cinco lances de escada, cinco andares que lhe deram a chance de pensar no que faria dali por diante. Não poderia continuar assim, não aguentava mais continuar assim.

Aceitou o fim ao chegar a frente da porta, girou a chave, entrou com toda calma do mundo. Fechou a porta, trancou, colocou as chaves penduradas em seu local ao lado da porta, largou os sapatos, respirou fundo e foi até a cozinha. Abriu os armários até encontrar a garrafa que procurava. Sentou no sofá e chorou como nunca, chorou como uma criança que perdeu o seu brinquedo favorito. Deu vários goles na garrafa, o líquido amargo descia goela abaixo e queimava mais do que qualquer bebida alcoólica que já provara.


Bastaram apenas mais alguns minutos e outros goles para que ela por fim deitasse e então silenciasse.


Atenção: Essa crônica faz parte do meu projeto Aquela Música que é composto por crônicas inspiradas em músicas. -Silenciando- foi escrita inspirada na música A Bailarina Torta da banda A Banda Mais Bonita da Cidade.

29 de agosto de 2017

Moda x Sustentabilidade


É impossível usar peças que utilizam couro e pele sem agredir o meio ambiente, certo? Errado! Conheci recentemente a empresa B.Bag que trabalha com o conceito handmade (feito a mão) com produtos feitos com material de reciclagem! O destino primordial da matéria prima é alimentação então elas entram em contato com os parceiros e conseguem dessa forma as peles e couros para montagem de seus produtos.

A marca comercializa bolsas e sapatos de produção artesanal com materiais exóticos. A sofisticação e a exclusividade são os diferenciais de cada produto. A preocupação com o meio ambiente é constante. “Nós estamos sempre procurando parcerias com empresas e fornecedores que  integrem pequenos produtores, pescadores e comunidades indígenas ao dinamismo dos setores de moda”, explica Beatriz Martins. Essa integração gera renda para os pequenos produtores e produtos únicos e exclusivos para as fashionistas mais exigentes!

Em 2016 as criadoras Camila Vieira e Beatriz Martins tiveram o prazer de assistir suas peças estrelarem a novela global "A Lei do Amor" e isso alavancou a marca de forma impressionante, fazendo a cabeça de influenciadoras digitais como Natana de Leon e Bianca Petry.

Conheça mais sobre a marca e suas coleções:

Fotos da nova coleção:







28 de agosto de 2017

Resistir


Chegamos nesse mundo sem saber de nada. Não nos avisam que as coisas vão ser difíceis e que existe uma coisa chamada Sonho que pode te colocar tanto pra cima quanto pra baixo. Existem os sonhos que foram feitos para serem realizados e os que nasceram apenas para serem sonhos, desejos inalcançáveis, utopias. Mas como saber qual é qual? Como saber pelo qual vale a pena lutar e de qual devemos desistir?

Eu não sei a resposta dessa pergunta. Ninguém sabe. Quando criança nós temos sonhos, então crescemos e os sonhos vão mudando, se adaptando quando necessário, mas sempre vão estar ali no cantinho, desejando uma brecha pra se tornar realidade. Então a surge a oportunidade e você tenta e é difícil e você desiste. Retoma a rotina e segue em frente.

Um belo dia, basta uma pequena fagulha e o sonho volta. Mais firme do que nunca, com novas ideias, novos caminhos a serem percorrido e é nesse momento que você joga tudo pro alto e corre atrás dele mais uma vez. E vai fazer isso de novo e de novo e de novo até que consiga realizá-lo. Eu não posso prometer que vai ser fácil, mas quando acontecer vai valer a pena e vai fazer todo o caminho que foi percorrido parecer pequeno.

E menor ainda vai ficar quando você vislumbrar o caminho para realizar seu próximo sonho. De sonho em sonho, de realização em realização, de dificuldade em dificuldade, levante a cabeça e siga em frente. Se precisar, desista, mas apenas enquanto retoma as forças pra continuar sonhando.

20 de agosto de 2017

Conheça o Bazar Prime 2017


Não percam o Bazar Prime 2017! O maior bazar do Nordeste. Será nos dias 1, 2 e 3 de Dezembro, das 10h às 22h, no Centro de Convenções de Pernambuco. Mais de 200 lojas com marcas famosas e produtos novos com descontos reais de até 70%! O espaço conta com área kids onde você pode deixar seu filho seguro enquanto faz suas compras com tranquilidade, espaço bem estar com massagem e maquiagem gratuita para mulheres, área de alimentação com shows gratuitos e você ainda concorre a uma super passagem área!

Não perca a chance de comprar os presentes de Natal pra família toda com um precinho incrível e tudo num só lugar!


10 de agosto de 2017

Música de Quinta 06 - Não é o que parece

Você tá ali, de boinha na lagoa, escuta uma música e pensa "ah que linda", mas nem imagina que na verdade, a música nem é tão linda assim. Isso é muito comum de acontecer (principalmente com músicas internacionais) e olha que também acontece com algumas nacionais. Pra ajudar a acabar com a visão romântica de músicas que não são, eu preparei uma listinha!

Começamos com um sucesso inegável. Não é a minha favorita da Diva, mas tá no meu top. Eu ouvia e achava a coisa mais linda do mundo, ela dizendo que o amará pra sempre e sempre e que eles vão ficar juntos para sempre e sempre... Uma música digna de amor eterno, não é? Não mesmo! Logo no começo ela diz "Se eu ficasse eu só estaria no seu caminho. Então eu Vou embora, mas eu sei que pensarei em você em cada passo do caminho" ou seja, é uma música de adeus.

Então vocês dizem "isso acontece porque é música internacional". Mentira. A música Flor de Lis do Djavan é uma das maiores provas do equivoco musical! Cansei de ver as pessoas cantando essa música super felizes e animadas nos churrascos de domingo.Saibam que ele fez essa música depois que a sua esposa perdeu o bebê que estava para nascer. Atentem ao trecho "E o meu jardim da vida ressecou, morreu. Do pé que brotou Maria nem margarida nasceu.".

 Uma música animadinha e um belo pedido de casamento! Assim que essa música foi lançada a internet foi saturada com vídeos de pedidos de casamento que a tiveram como tema. Flash mobs, carros em movimento, uma ideia mais criativa que a outra. Mas é um pedido de casamento! Como pode não ser perfeito? Simples, atentem ao trecho: "I think I wanna marry you. Is it the look in your eyes or is it this dancing juice?" Traduzindo: "Eu acho que quero me casar com você. É esse seu olhar ou é essa bebida?" Essa música é perfeita pros casamentos impensados de Las Vegas!

Uma das minhas bandas favoritas não ficou fora dessa lista! Mutia gente escuta essa música e acha que é uma história de amor adolescente, que eles estavam lá no quarto e ela foi super fofa e eles são fofos e ah meodeos quanto romantismo! Mas não é bem assim. Notem o trecho: "And when I awoke I was alone. This bird has flown". Traduzindo: "E quando acordei eu estava sozinho. O pássaro havia voado." Ela foi embora e largou ele sozinho!

Uma extra dos meus amores e extremamente importante. As pessoas costumam levar essa música no sentido literal. Um pássaro preto, machucado que consegue se recuperar e voar novamente. A realidade é que ela foi inspirada numa garota afro-americana que na época lutava contra as leis racistas de Jim Crow que privavam os negros da liberdade e de direitos civis básicos, mas em 1964 tudo foi revogado e ela pode voar livre.

Eu já perdi a conta de quantas músicas lindas e super românticas foram na verdade escritas para a droga. Essa não foge da regra! Quando ele canta "There she goes, There she goes again, Racing thru' my brain, And I just can't contain this feelin' that remains..." Traduzindo: "Lá vai ela, lá vai ela outra vez, correndo pelo meu cérebro e eu simplesmente não posso conter esse sentimento que perdura..." ele não está se referindo a uma paixão avassaladora e sim a heroína.

Por hoje é só!
Fica a dica: procurem sempre ver a tradução das músicas e realmente prestar atenção no que estão dizendo ou você vai acabar colocando uma música de despedida no seu casamento!


Siga-me: 

4 de agosto de 2017

J. K. Rowling Desenhista


Que J. K. Rowling é uma excelente escrita que conquistou o coração de bilhões de pessoas pelos quatro cantos do mundo não dá pra negar. Uma grande novidade é que além de escrita ela também é uma ótima desenhista! Não acredita? Por um tempo nós visitamos o site Pottermore e víamos vários desenhos ilustrando as postagens o que não sabíamos era a autoria deles! Mas o pessoal do The Rowling Library não deixou barato e investigou a fundo até descobrir que os desenhos eram dela!

Confira:






















































O bom disso tudo é que, além de descobrir outro talento dela, também podemos ver um pouquinho de como ela imaginava os personagens! Quem diria que era assim que ela imaginava o fantasma Pirraça (desenho 2)?! Adorei!

Siga-me:
https://www.instagram.com/malkalima
https://www.twitter.com/malkalima
https://www.pinterest.com/malkalima
https://www.facebook.com/malkalima
https://www.malkalima.com
snapchat: malkalima

Para ver os desenhos em tamanho maior, continue lendo essa postagem:

3 de agosto de 2017

Música de Quinta 05 - Hardneja Sertacore


Hoje eu trouxe uma banda pra animar aquele rockeiro dentro de você que não resiste quando toca Evidências! Agora você pode ouvir este e outros sucessos no melhor estilo hardcore de todos! A banda infelizmente não está mais na ativa (todas as redes e sites estão parados desde 2011), mas você ainda pode encontrar seus sucessos pelo YouTube ou no Spotify!





Conheça um pouco sobre a banda:
https://www.facebook.com/HARDNEJA

Siga-me:
https://www.instagram.com/malkalima
https://www.twitter.com/malkalima
https://www.pinterest.com/malkalima
https://www.facebook.com/malkalima
https://www.malkalima.com
snapchat: malkalima

2 de agosto de 2017

Quarta no Quarto 05 - Intimidade Nerd



Um amigo me pediu pra falar sobre intimidade nerd... e a primeira coisa que me veio a cabeça foi "como o Jar Jar Binks seduz a sua parceira?" uma vez que eu não faço ideia de como ele faz isso e que seja lá como for, nem todo mundo quer saber, eu resolvi aprofundar um pouco mais o papo e abranger um público mais amplo. A verdade é que ser nerd ou geek está na moda. Se antes eram estilos repudiados, agora são amados e sim, infelizmente tem os modinhas aproveitando-se da oportunidade, mas isso sempre vai existir, não é?

A verdade é que a modinha tornou mais fácil conseguir aqueles itens que tanto adoramos, o número de lojas que começaram a investir na cultura geek e até mesmo as lojas de departamento se adaptaram e lançaram coleções pra conquistar o mais high level coraçãozinho. De pijama a itens eróticos, tudo ganhou uma roupagem inspirada nos sonhos mais melindrosos. Continue lendo essa postagem para saber mais.


1 de agosto de 2017

Star Wars - The Kawaii Saga


Que eu sou apaixonada por Star Wars não é mais novidade. Que eu adoro coisas fofas também não... Eu acho, mas de fato tem cada fofurice por aí que não dá pra resistir e a artista da vez é a Kepala Kardus! Ela é uma designer incrível que avacalha o sistema na questão fofura! No meio de tantas cores e dona de um estilo próprio, ela resolveu criar os personagens de Star Wars - The Complete Kawaii Saga! Morra de fofura comigo:
















No texto onde ela postou as artes ela ainda diz que pretende fazer outros personagens como Darth Nihilus e Mara Jade. Mal posso esperar e vou ficar acompanhando de perto pra trazer pra vocês!

Siga-me:

https://www.instagram.com/malkalima
https://www.twitter.com/malkalima
https://www.pinterest.com/malkalima
https://www.facebook.com/malkalima
https://www.malkalima.com
snapchat: malkalima

19 de julho de 2017

Fim do canal, fim do blog, fim do Instagram.


Uma hora tudo chega ao fim, uma hora é preciso aceitar o fim de tudo e seguir em frente. Post super rápido com o vídeo que gravei explicando sobre o fim de todas as minhas redes. Não deixem de assistir!

28 de abril de 2017

Uma carta para ele


Oi, só vim dizer que me apaixonei pelos seus sorrisos.
Sim, no plural.
Eu me apaixonei por todos eles.

Me apaixonei por aquele que você dá quando acha algo engraçado e vem junto com uma risada que na primeira vez me fez erguer as sobrancelhas e hoje fico feliz em conseguir te arrancar algumas com minhas bobagens.

Aquele seu sorriso sapeca me deixa curiosa. Eu sei que você vai aprontar algo que vai trazer junto várias risadas, minhas e suas.

Seu sorriso antes, durante e depois de uma boa refeição me deixa satisfeita. Seja depois de algo enorme e complicado que eu fiz ou só depois daquela coxinha no botequim da esquina. Poder compartilhar ambos os momentos com você também me faz sorrir e eu sei que as pontadas no peito depois de tanto bacon são apenas por essa alegria.

Um sorriso cheio de preguiça pela manhã alegra meu dia. Acordar e te ver, ter a expectativa de um dia cheio de coisa pra fazer ou cheio de vários nadas com certeza me faz ter uma ideia de que o dia vai valer a pena.

Seu sorriso quando chega e me vê, me derruba toda. Me faz acreditar em algo que tenho medo de pronunciar e até mesmo acreditar que existe.

Como pode tantos sorrisos lindos ainda possuírem tanto peso no olhar?
Me pergunto o dia em que poderei acreditar que realmente sou a causa de todos esses sorrisos.

27 de abril de 2017

Música de Quinta 04 - Orquestra do Diabo

Sabe aquelas bandas que você escuta uma música, não entende nada, escuta outra, entende menos ainda, escuta mais uma e se apaixona? Foi o meu caso com a banda Diablo Swing Orchestra! Escuto há alguns anos e até hoje não consigo definir o estilo deles e por isso foi pesquisar no querido Google e ele disse que a banda se enquadra no estilo Avant-garde metal.
Avant-garde metal (também conhecido como metal experimental ou art metal) é um gênero de transição do heavy metal caracterizado pela experimentalidade e pela forma não estruturada de sons, instrumentos e letras, fundindo características específicas de diferentes estilos. Diferentemente de outros subgêneros do Metal, o avant-garde possui maior liberdade lírica, e não se prende a estruturas. Esse maior fluxo de liberdade e criatividade faz com que o resultado apresente rendimentos abstratos sob foma de regime estranho e estruturas anormais.
Entendi metade disso tudo aí, mas pra mim a banda tem uma pegada heavy metal com detalhes flamencos e ainda uma pegada erudita com umas guitarras incríveis e vocais de arrepiar. A história da banda é bem curiosa e os primeiros registros vêm lá da Suécia por volta de 1501. Sério! Tudo isso. Reza a lenda que existia uma orquestra cuja as músicas eram tão boas e cativantes que uniam as pessoas de várias classes sociais. Por "enfeitiçar" as pessoas que seguiam a orquestra em suas apresentações, a igreja tratou logo de acusá-la de feitiçaria e enforcou os envolvidos. Dizem que eles deixaram uma carta para que os seus descendentes dessem continuidade ao projeto e aí está a banda!

Com 1 EP e 3 álbuns gravados em estúdio, a banda passou por algumas mudanças na formação, músicos convidados e até mesmo coadjuvantes que dão aquele toque especial nas gravações. Pra vocês terem uma ideia, a banda conta com sintetizador, sitara, violoncelo, flauta, piano e trompete. Isso eu to falando "os mais estranhos", mas obviamente tem bem mais coisas.

Os vocais são um show a parte e se misturam com os instrumentos criando melodias únicas e envolventes. Vale a pena conferir! Como sou do tipo que facilita, trouxe o meu cd favorito já que não consigo escolher só uma música dele, uns clips oficiais e um não oficial que achei incrível.









26 de abril de 2017

Quarta no Quarto 04 - Sexo e depressão


A depressão afeta a vida da pessoa em todos os âmbitos e não é de se estranhar que afete também a vida sexual. Não sou uma especialista que estudou o assunto a fundo e na maioria das postagens aqui do blog eu tento ser o mais imparcial possível, mas agora o texto vai ter uma pitada pessoal em suas linhas. Em sua maioria vou usar pronomes masculinos pra falar sobre a cara-metade e tal, mas apenas pela facilidade do diálogo. O texto se aplica a qualquer tipo de relação.

É difícil lidar com uma pessoa depressiva, principalmente por não existir um manual de como lidar com tudo o que acontece. Cada pessoa é afetada pela doença de uma forma diferente. Muitas vezes o parceiro não percebe o quanto o outro está sendo afetado pela doença ou exatamente como está afetando. A baixa autoestima, descrença e inseguranças mil. Com tudo. Com o corpo, com a forma que geme, com as atitudes ou a falta delas, com o não querer transar e se sentir obrigado a isso para não perder o parceiro e então ficar se sentindo mal pelo que fez.Tem umas coisinhas simples que talvez possa ajudar nisso tudo!

Se você é a pessoa que sofre com a depressão:

Converse com o parceiro. Se abra, de verdade. Se ele foi o que você escolheu pra estar ao seu lado e dividir a sua vida e seus melhores momentos, entenda que ele também é capaz de ficar ao seu lado nos momentos ruins. E se ele não ficar, não era pra você. Erga a cabeça e continue acreditando. Isso já aconteceu comigo e eu acredito que pode acontecer de novo, mas que um dia vou achar aquela pessoa que vai segurar minha mão enquanto estou gemendo, mas também vai segurar enquanto estou chorando. a conversa muitas vezes é a solução dos problemas em uma relação. Não finja que está bem, não transe sem vontade, não faça nada que você se sinta forçada a fazer. Não deixe o seu parceiro confuso e sem entender o que está acontecendo, pois isso pode afastá-lo de você simplesmente por não entender o que está acontecendo e por acreditar que é você que não o quer por perto.

Se você está com alguém quem sofre com a depressão:

Seja paciente. É o melhor conselho que posso dar. As vezes a pessoa com depressão se sente tão feia e ruim para o seu parceiro que se isola e se fecha numa concha. Tem vergonha do próprio corpo, de tudo que faz e não faz na cama. Sexo é importante numa relação, mas lembre-se que não é o primordial e se na sua relação é o mais importante, talvez você devesse repensar um pouco mais. Deve existir o equilíbrio e se você realmente ama seu parceiro e quer estar ao seu lado, vai ter que enfrentar tudo isso com ele e entender que existirão períodos sem sexo. Insistir ou forçar está fora de cogitação. "Quando um não quer, dois não transam". Lembre-se disso. É difícil e muitas vezes os hormônios falam mais alto, o corpo tem suas formas de nos sabotar, mas acredite quando eu digo que você pode ajudar seu parceiro apenas ficando ao seu lado e a apoiando.

Se o sexo acontecer:

  • Não tentem fazer uma maratona de posições do Kama Sutra, não tentem quebrar o recorde de orgasmos, nem de tempo. Uma falha em algum ponto e a pessoa depressiva pode sentir-se culpada e isso pode colocar a perder qualquer progresso que ela tenha tido recentemente. 
  • Dediquem-se a aproveitar e curtir um ao outro. Carícias, carinhos leves, toques e realmente gozar do momento que é estarem partilhando tudo isso. 
  • Sem pressa e sem obrigações. Nada de correr pra penetração ou sentir que tem a obrigação de gozar ou de fazer o outro gozar. Foquem em aproveitar o momento de prazer.


Como eu disse antes, cada caso é um caso e cada pessoa é um mundo diferente. Cabe a você não desistir do seu parceiro e apoia-lo como também confiar e se abrir com ele. Alguns sites já abordaram o assunto e dão boas dicas pra isso. Vou deixar os links pra vocês:

http://www.escolapsicologia.com/como-dar-apoio-a-alguem-com-depressao/
http://www.sairdadepressao.com/como-ajudar-uma-pessoa-com-depressao/
http://cuidamos.com/artigos/8-dicas-para-cuidar-pessoa-deprimida
https://familia.com.br/5895/cinco-maneiras-eficazes-de-lidar-com-a-depressao
https://www.clinicadamente.com/como-ajudar-pessoa-em-depressao-2/
http://www.apsicologa.com/2008/04/ajudar-o-cnjuge-com-depresso.html
https://hbjunior19.wordpress.com/2014/05/15/depressao-8-dicas-para-lidar-com-um-conjuge-deprimido/

Crise de fofura:
https://queminova.catracalivre.com.br/influencia/homem-surpreende-esposa-com-depressao-ao-listar-motivos-pelos-quais-a-ama/

25 de abril de 2017

Por trás da máscara

Viver com depressão não é fácil e tento isso há anos. Fui diagnosticada aos 16 anos, fiz terapia por um tempo e quando aprendi a fingir bem o suficiente, passei a esconder dos outros essa verdade. O que descobri é que essa doença é como um fungo que se forma naquele pão que você esquece em cima da geladeira. No começo é apenas uma manchinha, quase não dá pra notar. Um tempo depois você é completamente tomado e parece não ter mais jeito. E o que eu aprendi com isso? Não tem mais jeito mesmo., mas calma. Não estou falando sobre desistir da vida e coisas do tipo!

A depressão toma sua vida de uma forma que você não sente. Te faz se afastar dos amigos, dos conhecidos, do trabalho, dos seus sonhos e de você mesmo. Ela estraga você e toda a vida que você construiu ou ao menos tentou enquanto ela espreitava. Chega uma hora em que nós acordamos e entendemos que chegou a hora de desistir. Desistir de deixar que sua vida seja tomada, desistir de você só vendo o lado negativo das coisas, desistir das coisas que te deixam mais doentes e desistir da vida que está de fazendo mal.

Uma hora erguemos a cabeça e passamos acreditar que existe uma vida melhor e que existe algo bom só nos esperando acordar pra acontecer. Eu ainda não consegui acordar, mas estou começando a ver um pouco de cor no meio desse pesadelo todo. Mesmo com as decepções que estão surgindo no meio do caminho, os problemas e tempestades eu ainda acredito que um dia tudo vai ficar bem. Já não escondo mais meus problemas e peço ajuda pra aquelas que decidiram ficar. Sei que um dia tudo vai ficar bem. De um jeito ou de outro, tudo vai ficar bem.

24 de janeiro de 2017

Van Gogh na telona

Há um tempo (nem lembro quanto) eu postei na página do blog que ía sair um filme sobre a vida do meu pintor favorito e ele seria todo feito no estilo de pintura pós-impressionista. Eu estou pirando desde então com cada notícia que sai sobre isso e acompanhando tudo que é possível. Agora eu finalmente trouxe a melhor notícia do universo: saiu o trailer!


Ai meu coração... É emoção demais pra um filme só! Foram 6 anos de trabalho pra chegar até aqui! O filme foi escrito e dirigido por Hugh Welchman e Dorota Kobiela, produzido no Reino Unido pela BreakThru Filmes e Trademark Filmes. São mais de 60 mil pinturas e sabe o que é mais interessante? O filme foi todo feito com atores reais e depois replicado com as pinturas e animado quadro a quadro! Deu até pra entender por que a produção já dura 6 anos! Dá uma olhada no making of:


Ansiosos pela estréia? Eu estou! O longa vai ser lançado este ano no Reino Unido e ainda não vi a data que vai sair aqui no Brasil, mas vamos esperar!

23 de janeiro de 2017

Filme de segunda 03 - Clube dos Cinco


Eu realmente não sei como ainda não tinha falado do meu filme favorito do universo, mas a novidade é que ele entrou na Netflix e já assisti umas 8 vezes! O filme é um clássico que inspirou milhares de jovens na década de 80. Sim, pasmem! O filme é de 1985! Eu nem era nascida. Ele está na lista daqueles "filmes obrigatórios" pra todo estudante. Não tive a sorte de assistir no colégio, mas graças a sessão da tarde, conheci o amor da minha vida!

Ficha Técnica:
Título Original: The Breakfast Club
Título no Brasil: Clube dos Cinco 

 Direção: John Hughes
Duração: 1h37min
Indicação: Livre
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama/Comédia
Nota: 10 limões
Tem na Netflix: SIM


Sinopse: Cinco adolescentes do ensino médio cometem pequenos delitos na escola e, como punição, têm que passar o sábado no colégio e escrever uma redação contando o que pensam de si mesmos. O grupo reúne jovens com perfis completamente diferentes: o popular, a patricinha, a esquisita, o nerd e o rebelde. No decorrer do dia, eles passam a se conhecer melhor e a aceitar suas diferenças, compartilhando seus maiores segredos.

John é o marginal. Badboy das paixonites adolescentes. Rebelde, rude, grosseiro, transgressor e dono de uma língua afiada ele acaba tirando a paciência dos outros com uma enorme facilidade. É aquele garoto que faz o bullying com um prazer tremendo, pegando o esteriótipo de cada um dos outros personagens e usando contra ele.

Andrew é o atleta. Atleta, popular, buscando uma bolsa de estudos através da luta livre e parece ser o par romântico indicado para Claire. No começo ficamos naquela dúvida do que ele fez para estar ali, já que ele parece ser o aluno mauricinho perfeito.

Allison é a neurótica. Não fala nem interage com as pessoas, reclusa e com atitudes dignas de internamento! Spoiler: ela faz um sanduíche com cereal!  É a única dos alunos que John não perturba e talvez seja pelo estilo rebelde compartilhado por eles (mais dark para Allison) ou pelo apoio que ela dá às suas travessuras.

Claire é a princesa. Rica e mimada, a garota mais popular do colégio, amada e venerada, usada como inspiração para as outras garotas. Parece não se importar com as provocações, e mostra superior a situação e chocada com o fato de estar em detenção.

Brian é o cdf. Aquele nerd clássico dos filmes, mega estudioso, só tira notas altas é cobrado pelos pais por isso, faz parte de diversos clubes como físíca, xadrez e tal. É realmente o esteriótipo do garoto nerd virgem. Inseguro e amedrontado, tenta se encaixar como pode no grupo.

Passar o sábado inteiro no colégio não agrade nenhum deles e ao longo do dia eles percebem que apesar das diferenças gritantes, eles possuem mais em comum do que imaginavam. No confinamento eles começam a fazer confissões, declarações e se conhecem melhor. Cada um demonstra ter uma surpresa para nós e isso acaba prendendo a atenção! Cada revelação é um baque!

A trilha sonora é um espetáculo a parte! Foi o filme que me apresentou a banda Simple Minds, que eu ainda escuto as favoritas até hoje. A música Don't You (Forget About Me) virou um hino da juventude na época e ainda é muito usada hoje em dia. Fato curioso: convidaram o Billy Idol, mas ele recusou e assim a Simples Minds entrou e arrasou!

O que mais me impressiona é que o filme, apesar de ser de 1985, continua super atual. É o típico filme que passa no teste dos 15 anos: você consegue assisti-lo após 15 anos e a história se encaixa. É fácil se identificar com algum personagem, com alguns traços e esteriótipos. É mais fácil ainda relembrar algumas coisas do seu tempo na escola. Algumas boas, outras nem tanto, mas no fim é um filme que vale MUITO a pena assistir!


22 de janeiro de 2017

Uma doença incurável...


Possuo uma doença rara... Daquelas que quando você pega, te derruba em cima da cama e deixa sequelas que vão te acompanhar a vida inteira. Quando começou era apenas paixão. Arrebatadora e inevitável. Veio de vagar, no primeiro sorriso, foi agravando com as horas de conversas e chegou em estado crítico com os abraços e todo o carinho que a alimentou.

Depois de bem nutrida essa doença se agravou e virou algo incurável conhecido como amor. O amor não tem cura, não tem remédio nem afago que dê jeito. Te faz se perder em pensamentos e lembranças, em gostos e cheiros e te faz viver num mundo onde ele controla tudo. Quando a outra pessoa também é infectada, as coisas não são ruins. Caso contrário, a dor é dilacerante e o pior de tudo: é incurável.


21 de janeiro de 2017

Final feliz?

Quanto tempo falta pro final feliz? O que nós temos que suportar até que ele chegue? Quantas montanhas precisamos escalar? Quantas muralhas precisamos construir e quantas precisamos derrubar? O que precisamos fazer pra ele chegar? O que precisamos enfrentar? E com o perdão do pleonasmo, o que precisamos encarar de frente?

O caminho parece árduo e difícil, complicado e nos faz pensar em desistir, mas o que nos fazer seguir em frente? As vezes é um sorriso, outras uma mensagem de boa noite. Pode vir disfarçado de um "lembrei de você" junto com uma imagem engraçada. Tudo isso traz esperança e nos faz acreditar que esse tal final feliz está cada vez mais próximo.

É claro que temos a plena consciência de que a felicidade não vai ser totalmente plena. Ainda vão existir montanhas a serem escaladas, muralhas a serem construídas e tantas outras derrubadas, mas dessa vez tudo será mais simples, pois será feito de mãos dadas.